A Camil acaba de divulgar seus números do 4T19, com data de fechamento em 29-Fev-20.  Portanto os números que vieram não sofreram qualquer influencia da pandemia cujos efeitos econômicos surgiram apenas a partir de Março.

Lembrando as principais marcas da Camil

Eventos de destaque do ano de 2019

  • Anúncio da aquisição da Unidade de Negócios PetFood da Empresas Iansa S.A (Chile) por USD 48 milhões;
  • JCP: distribuição total de R$ 51 milhões ao longo de 2019
  • Recompra de ações: 3º Programa concluído em novembro de 2019 adquirindo 30,6 milhões de ações detidas pelo acionista Warburg Pincus.  A totalidade das ações em tesouraria foram canceladas, gerando valor para os acionistas
  • Inauguração de novas fábricas: Barra Bonita-SP (produção e empacotamento de açúcar) e de Suape-PE (multicategoria)
  • Emissão do CRA IV da Camil Alimentos de R$ 600 milhões;
  • Incorporação da SLC  Alimentos

Números de desempenho em 2019

  • Receita Líquida de R$ 5,4 bilhões, um crescimento de 13,6% em relação ao ano anterior
  • Margem Bruta 23,2%, uma redução de 2,5 p.p.(pontos percentuais) em relação a 2018
  • EBITDA de R$ 441,7 milhões, uma redução de 8,6%.  A margem EBITDA de 8,2% também foi menor que no ano anterior em 2,0 p.p..  O EBITDA de 2018, de R$ 483,4 milhões, incluiu receitas e despesas não recorrentes de R$ 79,2 milhões.  Desconsiderando este valor a comparação fica mais favorável: um aumento de 9,3% no período e redução na margem de 0,3 p.p. .
  • Lucro Líquido de R$ 239,6 milhões, uma redução de 33,9%.  A margem de 4,4% teve uma redução de 3,2 p.p..  Com o ajuste citado acima, os valores seriam uma redução no LL de 2,5% e de 0,7% na Margem Liquida.

Em resumo, mais vendas e menos margem.  Apesar da economia ter andado bem em 2019, este não foi um ano fácil para a Camil.

Embora seja o maior player do seu mercado no Brasil e conseguir um prêmio na precificação dos grãos e do açúcar que vende, a Camil não tem muita força para determinar preços e portanto margens no seu negócio.  O gráfico abaixo,  feito pela empresa, mostra as margens e os resultados históricos.  As margens são fortemente centradas em torno das suas médias.  Não há grandes surpresas, nem as ruins, o que é muito positivo em épocas de crise econômica.  As tendências levemente crescente da Margem Líquida e levemente decrescente da Margem Bruta parecem indicar pequenas melhorias operacionais (eficiência) sendo conquistadas ao longo do tempo.

Endividamento, alavancagem e liquidez

Estes itens, importantíssimos para assegurar a resiliencia financeira em 2020, estão em níveis muito bons.

O volume de dívida financeira liquida ficou estável ao longo de 2019 e alavancagem, embora tenha subido marginalmente, manteve-se num patamar confortável (2,3 X).

A liquidez do balanço, importantíssima para enfrentar os desafios da economia sob o impacto da pandemia, se apresenta bastante saudável.  Caixa e Equivalentes somavam R$ 537,8 milhões (11,2% dos Ativos Totais) em Fev-2020 e a Liquidez Corrente era de excelentes 2,2 x. 

Na telecom a Camil afirmou que entre Março e Abril de 2020 a empresa captou empréstimos da ordem de R$ 1,3 bilhão e com isso garante o suprimento de liquidez para todo o ano de 2020.  Ou seja a empresa está com munição financeira para enfrentar a crise em 2020.

Nota:  Este post foi elaborado a partir de informações obtidas da central de download da área de RI da Camil.

Siga nossa página no Facebook: facebook.com/smallcaps.com.br

NÃO SE TRATA DE RECOMENDAÇÃO DE COMPRA OU VENDA

Sobre o Autor: Claudio R. Cusin é Engenheiro Mecânico formado pela Poli (USP) e Economista formado pela FEA (USP). É atualmente consultor de finanças tendo trabalhado no mercado financeiro por 30 anos. Foi Diretor de Credito e de Risco em vários bancos de investimento e comerciais. Email: claudio@smallcaps.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui