Fundada em 1987, Ourofino é mais uma Small Cap pouco conhecida do grande público. Possui como maiores apelos o foco em dois segmentos que estão em ótimo momento: Animais de Companhia (Pet) e Animais de Produção (basicamente, Frigoríficos), com a fabricação e comercialização de produtos médicos veterinários.

Trata-se de uma companhia que, mesmo nesse 2020 de crise, viu seus números melhorarem expressivamente, especialmente no último trimestre, com aumento de receita de 20,4% e 45,9%, aumento de Ebitda de 61,3% e 104,3% e Lucro Líquido de 161,5% e 246,2%, respectivamente ano e último trimestre.

Apesar disso, sua cotação ainda se encontra em queda de 17% no ano, mesmo com a bolsa já tendo se recuperado. Seu valor de mercado é de R$ 1,9 bilhões e com baixa dívida líquida. Trata-se de uma oportunidade?

Buscando ajudar a responder essa questão, fizemos uma entrevista exclusiva com a companhia, onde abordamos suas perspectivas de crescimento, concorrência, M&A e inovações.

Portal Small Caps: Hoje a empresa atua em segmentos onde o Brasil apresenta grande potencial de crescimento: Animais de Produção e Animais de Companhia (Pet). Mesmo assim, o crescimento médio de receitas nos últimos 5 anos foi de 7%. O que explica esse crescimento não tão acelerado? Que patamar de crescimento a companhia espera alcançar para os próximos anos em cada um desses setores?

O mercado de medicamentos veterinários, onde a Ourofino Saúde Animal está inserida, obteve crescimento médio de 7% entre 2015 e 2019. O valor é reportado pelo SINDAN (Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal) em seu site (http://www.sindan.org.br/mercado-brasil/) e leva em conta o baixo crescimento entre 2015 e 2016 (ponto mais baixo da série histórica e que se deveu a fatores extremamente atípicos e isolados na indústria de proteína de aves e suínos combinados com preços baixos em vacinas contra febre aftosa, ambos os subsegmentos nos quais a Ourofino possui baixa dependência), mas os crescimentos médios entre 2009 e 2019 e entre 2016 e 2019 foram de 9%, com o segmento de animais de companhia puxando esse crescimento com robusta média anual de 17% entre 2009 e 2019.

A Companhia não divulga guidance, mas para os próximos anos, temos expectativas de crescimento positivas, tanto pelo incremento de portfólio resultado dos investimentos em P&D, quanto pelos fortes fundamentos e direcionadores de crescimento do mercado de saúde animal. Em animais de produção, o baixo valor investido em saúde animal comparativamente ao custo total de criação do animal, a necessidade de aumento de produtividade pelo crescimento populacional e menor disponibilidade de terra. Em animais de companhia, o processo de humanização e aumento de gastos com pets, com eles se tornando parte da família.

Portal Small Caps: Falando sobre Animais de Produção: vocês conseguem estimar o aumento de eficiência que os produtores podem obter utilizando-se dos produtos da Ourofino?

De forma geral, o produtor brasileiro ainda investe pouco em saúde animal, comprovado pela baixa produtividade no país quando comparamos com os EUA, por exemplo. Enquanto nos EUA, o animal é normalmente abatido com 18 meses e peso da carcaça de 371kg, no Brasil ele é abatido com 36 meses e 249Kg. Parte dessa diferença é explicada pelo menor investimento em produtos e medicamentos veterinários que podem ser utilizados no aumento da produtividade. Nosso time de consultores técnicos e de geração de demanda, trabalham justamente nessa premissa, levando conhecimento ao produtor rural de modo que possa haver mais produtividade, até mesmo em um cenário de pressão quanto à disponibilidade de terra para a pecuária. Além dos feedbacks dos clientes serem extremamente positivos, é válido ressaltar que o custo do investimento em saúde animal é considerado baixo, menos de 3% em relação ao custo total de criação do animal para o pecuarista.

Portal Small Caps: Vocês estudam a entrada direta no varejo através de vendas on-line e/ou participando de algum market place?

Mantemos parcerias com algumas lojas que adotam o modelo de vendas online para os nossos produtos, principalmente quando nos referimos ao segmento de animais de companhia. Ao menos, por hora, não é estratégia da Companhia atuar diretamente no mercado on-line, mas sim fomentar o relacionamento com essas empresas que nos representam neste mercado. De qualquer modo, estamos acompanhando a tendência do setor e nos mantendo ativos para que esse provável incremento de vendas on-line que devemos observar nos próximos anos seja também benéfico para a Companhia.

Portal Small Caps: Caso a demanda do setor de fato siga com forte crescimento, a empresa possui capacidade instalada para absorver essa demanda ou precisaria de Capex significativo? 

Não são esperados investimentos em CAPEX significativos, dado que a fábrica possui capacidade instalada suficiente para, na maior parte das linhas de produto, atender o crescimento esperado de vendas pela companhia para os próximos anos, mesmo com o cenário de alta demanda no setor. Parte dessa capacidade de absorção do crescimento se justifica, inclusive, pela contínuas iniciativas de incremento de produtividade, resultado da adoção da metodologia Lean.

Portal Small Caps: Como funciona a competição com seus concorrentes (no Brasil e no exterior)? Quais as barreiras de entrada e vantagens competitivas da Ouro Fino?

Grande parte das empresas do mercado de saúde animal no Brasil são estrangeiras. A Ourofino é uma empresa que se orgulha em ser brasileira, e de que seus produtos, em especial no segmento de animais de produção, são criados pensando nas características do rebanho brasileiro, tipicamente zebuíno, criado em pasto aberto e sujeito aos desafios típicos do clima tropical brasileiro, além de contar com diversas alternativas de aplicação desses produtos (injeção, aplicação no dorso do animal, imersão, etc). Além disso, contamos com uma alta capilaridade da equipe comercial e de geração de demanda, que atinge mais de 4300 clientes diretamente em animais de produção, além de 41 distribuidores em animais de Companhia que posteriormente atingem 25 mil pontos de vendas (pet shops e clínicas veterinárias) por toda extensão do território brasileiro. O modelo de acesso aos clientes em animais de produção é único e ainda contamos com iniciativas que aproximam e educam, como o programa de TV Ourofino em Campo (https://www.youtube.com/playlist?list=PL9TeqBE5OO3t8BAjogw1RsT3zkZFvRADc) transmitido a todo Brasil no canal Terra Viva (parabólica e tv a cabo) alcançando ainda mais pecuaristas. Em animais de companhia, adotamos o modelo de grande proximidade, via visitas periódicas e eventos, com o médico veterinário que prescreve os medicamentos e é grande influenciador da decisão de compra.

Como barreiras de entrada do setor temos o desenvolvimento e registro dos produtos no país. No Brasil, por exemplo, o MAPA (Ministério da Agricultura e Pecuária) exige uma planta operacional para solicitar um novo registro de produto, além de, em média, serem necessários 4-5 anos para conseguir lançar um novo produto no Brasil. O processo de fabricação também possui uma estrutura regulamentada, sujeitas a inspeções nos fabricantes. A Ourofino, nesse sentido, possui um amplo portfólio já registrado, além de instalações industriais modernas que atendem plenamente os requisitos normativos das autoridades brasileira, além de estarem em conformidade com os padrões internacionais.

Portal Small Caps: A companhia estuda fazer novas aquisições? Caso afirmativo, qual setor seria o mais provável e como a mesma seria financiada?

Em linha com o planejamento estratégico efetuado no ano de 2019, a companhia está adotando uma série de iniciativas para aumentar o portfólio e oferecer, portanto, ainda mais soluções para os nossos clientes. A equipe de gestão estratégica de portfólio e novos negócios, alinhados com o departamento de P&D, que adota um modelo de inovação aberta, avaliam possibilidades de M&A nesse sentido, em especial, como forma de entrada em subsegmentos do mercado de saúde animal em que a Companhia ainda não tem tanta relevância. Em qualquer operação, será sempre considerado o nível de alavancagem da Companhia e a melhor alocação de capital.

Portal Small Caps: Falando sobre inovação: qual a representatividade das vendas dos produtos lançados recentemente (nos últimos 2 anos)?

Em 2019, a Companhia lançou dois produtos: o Ativi e a vacina Safesui Circovírus. A vacina Safesui é especialmente importante por ser o primeiro produto da Companhia em biológicos que será produzida na nova planta de biológicos, além de ser considerada a mais atualizada do mercado contra a circovirose em suínos. Quanto ao Ativi, trata-se de um suplemento alimentar para cães e gatos que exercem suporte nutricional ao metabolismo da construção de estruturas articulares.

Em 2020, lançamos o Maxicam Solução Oral, como complemento à linha Maxicam para cães e gatos e, neste segundo semestre, a linha Bris, marcando a entrada no subsegmento de dermocosméticos, para o qual nota-se uma grande demanda e crescimento.

Apesar de não abrirmos o faturamento por produto e/ou representatividade deles frente à receita total, entendemos que os lançamentos foram importantes na execução da estratégia de gestão de portfólio.

Portal Small Caps: Sobre a nova planta de biológicos (vacinas):  quantas novas vacinas estão em processo de aprovação para começarem a ser produzidas nos próximos 3 anos? Qual deverá ser a representatividade das vacinas em relação ao faturamento total do grupo?

Biológicos representam cerca de 24% do mercado de saúde animal do Brasil, e é um dos subsegmentos com maior crescimento. As vacinas para que possamos competir nesse mercado estão em desenvolvimento (além da Aftosa e do lançamento da Safesui em 2019) algumas para o universo de curto prazo, outras seguindo o pipeline para os próximos 3 a 5 anos.

Portal Small Caps: Hoje a empresa possui a maior participação vinda do mercado interno. Há um planejamento para aumentar a representatividade nas exportações? Isso poderia ser fomentado através de novas parcerias ou Joint Venture?

A Ourofino investe continuamente no crescimento de suas operações internacionais, inclusive, por meio de operações próprias no México e Colômbia,  respectivamente, 2º e 3º maior mercado de saúde animal da América Latina. Assim, para aumentar nossa representatividade nestes dois países, estamos replicando e adaptando algumas boas práticas já adotadas pelo time comercial do Brasil, como o trabalho de geração de demanda.

A atuação nos outros países em que não temos subsidiárias é feita por meio de parceria com outros distribuidores, com os quais desempenhamos um trabalho continuo para fomentar proximidade e negócios, além de avaliarmos constantemente novas oportunidades.

Outra importante iniciativa para aumento da representatividade nas exportações é o registro de produtos da Companhia junto aos órgãos reguladores de cada país, que permitirão, portanto, o aumento do portfólio nesses países e, consequentemente, incremento nas vendas. Este é um trabalho que foi reforçado desde o ano passado, 2019, no ciclo de planejamento estratégico e segue em andamento.

Portal Small Caps: Qual o perfil de investidor que, na visão de vocês, deveria considerar investir na Ouro Fino?

Investidores que buscam empresas com alto potencial de crescimento, bem posicionadas em um mercado com bons drivers de crescimento, e reputação/reconhecimento junto aos clientes. Além disso, que apresentem histórico de rentabilidade.

Caso queiram buscar mais informações podem acessar o nosso site de RI (https://ri.ourofino.com) ou contatar diretamente o time de RI no e-mail ri@ourofino.com

Siga nosso Twitter: https://twitter.com/portalsmallcaps

Instagram: www.instagram.com/portalsmallcaps

NÃO SE TRATA DE RECOMENDAÇÃO DE COMPRA OU VENDA

Sobre o Autor: Victor Kietzmann Junior é Economista formado pela FEA e atua individualmente há mais de 20 anos no mercado de ações.

9 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui